sexta-feira, 3 de junho de 2011

RELAÇÃO CÉREBRO - MENTE


Durante milhares de anos, milhares de pessoas questionaram-se sobre quais as funções do cérebro, outros milhares sobre o que era realmente a mente e outros ainda sobre quais as funções da mente. Um pouco mais esclarecidos sobre estes três temas, estes milhares de pessoas depararam-se com um novo problema: qual a relação existente entre a mente e o cérebro?


O cérebro é uma estrutura física, um órgão, considerado por muitos como o mais importante, que controla tudo o que um indivíduo faz. A mente é um sistema integrador de processos dinâmicos em interacção: processos conativos, cognitivos e emocionais. Basicamente, a mente constitui o lugar da actividade psíquica, considerada na sua totalidade, englobando operações conscientes e não conscientes, entre elas as emoções e os sentimentos. Assim, a mente é algo imaterial, invisível e, portanto, não palpável.

O desenvolvimento do cérebro ao longo da nossa vida é condicionado não só pelo meio em que estamos inseridos, mas também pelas experiências que temos. Uma prova disso é o caso das crianças selvagens que vivem num ambiente diferente do comum e têm experiências diferentes das nossas. Como tal, os cérebros destas crianças não se desenvolvem de forma igual à das pessoas comuns.


Mas, também a mente é capaz de influenciar o desenvolvimento do cérebro do ser humano. O facto de nós exercitarmos mais ou menos a mente, compromete o desenvolvimento do cérebro. Isto significa que o desenvolvimento da mente influencia o do cérebro, da mesma forma que o desenvolvimento do cérebro influencia o da mente.



A essência de uma pessoa está na existência de funções mentais que permitem a ela pensar e perceber, amar e odiar, aprender e lembrar, resolver problemas, comunicar-se através da fala e da escrita, criar e destruir civilizações. Ora, depois de estudadas, as crianças selvagens, sabe-se que estas crianças não desenvolvem qualquer tipo de emoções e sentimentos e que a aprendizagem é bastante difícil para elas pois a mente é construída de uma forma diferente da nossa.

Deste modo, talvez seja errado afirmar que o tipo de cérebro com que nascemos é relevante para o tipo de mente que vamos construir, uma vez que todos nascemos nas mesmas condições mas, dependendo do modo que são usadas, estimuladas, reforçadas e educadas, a mente desenvolve-se de maneira diferente em cada indivíduo. A construção da mente é, portanto, relativa.


Relativamente à relação cérebro – mente podemos falar do comportamente, ou seja, a manifestação pública dos processos mentais, é possível afirmar que sem mente não existiria o comportamento. Sendo os nossos comportamentos controlados pelo nosso cérebro, a relação entre o cérebro e a mente é realçada.

O cérebro e a mente estão então inter-relacionados: um influencia o outro de forma mútua. Pode assim afirmar-se que apresentam uma relação de interdependência que poderá ser melhor entendida usando a famosa metáfora do hardware (cérebro) e do software (mente). Tal como sem o hardware o software de um computador não pode existir, sem o cérebro, a mente não pode existir, sem a manifestação comportamental, a mente não pode ser expressada.



Joana Campelos

Sem comentários:

Enviar um comentário